rua-01_edited.jpg

Pobreza Menstrual

Pobreza Menstrual caracteriza a dificuldade e a falta ao acesso à água, ao saneamento básico, às instalações sanitárias, aos lugares corretos para descarte de resíduos e aos itens de higiene pessoal, básica e menstrual por pessoas que menstruam e encontram-se em situação de vulnerabilidade. 

O termo pobreza menstrual descreve a condição indigna, vivida por muitas pessoas durante o período menstrual. A falta de artifícios necessários impossibilita a higiene correta e digna durante a menstruação, situação fisiológica e natural do corpo biologicamente humano feminino. 

Na tentativa de suprir a carência da higiene menstrual de qualidade e correta, pessoas que menstruam passam a utilizar materiais que estão a sua disposição como: jornais, papelões, miolo de pão, pedaços de pano, sacolas plásticas, folhas secas, areia, itens improvisados para coletar sangue menstrual. 
Os meios de gerenciamento não higiênicos e muito inconvenientes, são um risco para a saúde das pessoas que menstruam, podendo ocasionar graves infecções, além disto, a falta faz com que pessoas que menstruam em idade escolar, abandonem os estudos, bem como pessoas em fase adulta tenham dificuldade para trabalhar durante o período menstrual, as possibilidades de desenvolvimento destas pessoas são diminuídas. 

Os fatores econômicos, sociais, culturais e políticos estão intrinsecamente ligados e são contribuintes para o agravamento do problema. 
No Brasil, o absorvente ainda não é considerado um produto de higiene básica, ainda são encontrados na categoria dos cométicos, ou seja, é praticamente considerado um item de LUXO. Segundo a receita federal no país é cobrado um imposto próximo a 27,25% (% tributos sem preço, somando-se ICMS+IPI+PIS+COFINS), tornando-o um produto caro, pouco acessível para as pessoas de baixa renda, assim a higiene menstrual é praticamente um privilégio para quem menstrua.

A Organização das Nações Unidas (ONU) reconhece que o direito das mulheres à higiene menstrual é uma questão de saúde pública mundial e mais do que isto faz parte dos direitos humanos. 

Muito provavelmente você leitor (a) não conhecia o termo pobreza menstrual, o problema em si. 
Infelizmente as pessoas que passam por está situação são em sua maioria invisíveis, não sabemos da existência delas. 
Elas eram invisíveis para você, não eram?